A “Rede ” e o “Curral do Conselho

“Pessoal da rede” era o nome dos funcionários da Prefeitura que, com a “carrocinha”, recolhiam cães vadios. Em 26 de abril de 1896 o jornal “Gazeta de Piracicaba” já reclamava, às autoridades, dos cães que sujavam as ruas. Na atual Rua Regente Feijó – que se chamava Rua do Conselho – pouco antes de se chegar à rua do Rosário, localizava-se o canil da Prefeitura, também chamado de “Curral do Conselho”. Próximo, no começo da rua da Glória – atual Benjamin Constant – havia uma fábrica de sabão que exalava cheiros desagradáveis. Daí, nasceu a versão de que os cães colhidos pela “rede” iam para a fábrica, tornando-se sabão…

Deixe um comentário