Astrid Maria Salles Dias Furtado

31/03/41

Seu trabalho em pintura utiliza a textura, criando superfícies ásperas e irregulares. Acrescenta materiais naturais como areia, fibras de coqueiro, cordas, que fazem parte da rusticidade do universo indígena, motivo de sua pesquisa.
No mergulho em busca das próprias raízes, enfoca o universo indígena com olhos eruditos para prolongar o diálogo com a geração atual. Umberto Consenti no disse sobre seu trabalho: “Revisitando a alma da arte indígena, Astrid o faz por meio de uma abordagem plástica impregnada de musicalidade… A artista nos fornece um cristal mágico onde podemos mergulhar numa dimensão, de riqueza inimaginável, um filtro que nos faz finalmente desvendar o mistério do universo indígena …”
Diplomou-se em Artes Plásticas na FAAP-SP, trabalhou com música, gravura e lecionou Arte. Desde 1965 expõe no Brasil e a partir de 1987 na Europa (Alemanha e Suíça). Recebeu vários prêmios entre Medalhas de Ouro, Prata, Aquisição e Prêmio Internacional (Taiwan-Formosa- Taipei Fine Art Museurn). A Basf dos Estados Unidos mantém, desde 1998, cinco telas suas expostas na sede de Nova York.

 

Obras 

Terra Azul – 1996
mista s/ tela – 30 x 50 cm

 

 

 

 

 

Era uma vez – 1997
mista s/ tela – 40 x 60 cm

Deixe um comentário