COXIM FABULOSO

Em 1961, a Revista Mirante nº52, voltou a focalizar em suas páginas o rio Coxim, dada a grande atração que o mesmo exercia sobre os pescadores piracicabanos.

Desta vez, o entrevistado foi o sertanista Joaquim Momesso, de Barra Bonita, promotor e dirigente de uma grande pescaria realizada em maio daquele ano.

O título acima é o original da matéria! Leia a entrevista na íntegra:

– O rio Coxim de que rio é afluente?

– Do rio Taquarí, igualmente piscoso.

– É então quase na fronteira com o Paraguai ?

– Não. É longe. Fica no inicio do pantanal e relativamente próximo a fronteira da Bolívia.

– Há nessa região algum povoado, patrimônio ou cidade?

– A cidade de Coxim, que perto dele tem bom hotel às margens do rio, dirigido muito bem pela família Góis.

 – Que leva pescadores a procurar rio tão distante, quando ternos o Piracicaba, o Tietê e alguns outros famosos por sua fauna ?

– Porque o Coxim, estando em região pouco explorada pelo comércio de pesca, oferece quantidade e variedade de peixes que assombra qualquer pescador e por estar no início do Pantanal, recebendo a desova total da espécie existente no mesmo.

Uma turma de 5 a 10 pescadores que quantidade de peixe pode pescar numa semana?

 – Cinco toneladas, limpos.

– Qual a variedade mais freqüente no Coxim?

– Jaú, pacu, pintado e dourado.

– Não há fiscalização de pesca nessa região? Como pescam ali?

– Pesca-se como amador, com linha.

 – Não fica o Coxim nas proximidades da região pantanosa? Não há perigo de maleita ou outras febres próprias dos países tropicais?

– Não tem havido casos com os nossos companheiros que ali frequentam há anos.

– Nesta última excursão quais foram os companheiros?

– Renato Sampaio de Almeida Prado, Orlando Ometto, Ezio de Toledo Martins e Michel Pedro José.

– E pilotos e cozinheiros?

– Como pilotos: Dionisio, Osvaldo e Chico. E cozinheiros: Hélio e Braga.

– A zona onde se situa o Coxim também atrai os caçadores?

– Sim. Para a caça de campo, há perdizes em quantidade. Há poucos campos. Mais própria a zona para caçada de mato.

– Quais as caças?

– Veado, paca, cutia, capivara, e outras variedades.

– Há também muitos jacarés nessa região? São realmente perigosos para com os pescadores? Atacam o homem?

– Há infinidade! Se atacam eu não sei, porque não nadei no meio deles …

– O rio Coxim é perigoso? Tem navegação?

– Sim. Muito perigoso pelas suas cachoeiras e arraias… Por isso há pouca navegação. Sendo que nas partes encachoeiradas, a passagem dos barcos se faz por terra ou por cordas.

– Como por cordas?

– Dois pilotos vão segurando a corda na popa para dar direção, e outros dois vão com uma corda na proa, servindo de breque… Esses pilotos vão por água a dentro e arrastam o perigo das arraias. Uma arraia pode pesar até 60 quilos ou mais.

 – Como se atinge o rio Coxim?

– Por estrada de rodagem, do Porto XV a Campo Grande, que é oficial, boa; e até Coxim estrada comum. De avião pequeno aterrizando no campo de pouso do Hotel Piracema, do sr. Góis. Campo firme e seguro, portanto.

Quais as melhores épocas da pesca ali? Pretende voltar?

– A melhor época é de Agosto a Outubro. Pretendo voltar, nessa época e o senhor repórter está convidado a confirmar o que eu disse.

Deixe um comentário