O sonho de Manoel Gomes Tróia (18)

Novas lideranças

Em 1993, Eudes Aquino propõe mudanças nos estatutos sociais da Cooperativa. Em assembléia geral, no dia 31 de agosto, dos 308 cooperados, 37 presentes decidem pela reforma estatutária, aprovando as mudanças propostas. Uma das principais está na ampliação do mandato da diretoria de dois para três anos, a partir de 1994.

Candidato único, Eudes de Freitas Aquino reelege-se em assembléia geral no dia 29 de março de 1994, com uma equipe renovada, enxugando-se o Conselho de Administração, que passa a contar apenas com quatro diretores: ele próprio, na presidência, José Fernando Fanckin como vice-presidente, Jorge Silva como tesoureiro e Dalton José Balloni na superintendência. Como vogais, são eleitos os médicos Paulo Tadeu Falanghe, Luiz Fernando Penteado de Castro, Álvaro Manoel Antunes, Lúcio Ferraz de Arruda e Ernesto Valvano. Há uma renovação, nos conselhos fiscal e técnico, de cerca de 60% dos membros.

São novas lideranças surgindo e Eudes de Freitas Aquino sabe disso. Em seu segundo mandato, ele acredita poder eleger Dalton José Balloni como seu sucessor, dada a experiência que este adquire na superintendência da Cooperativa.

– O novo estatuto permitia-me candidatar a um terceiro mandato, mas me parecia claro que o meu sucessor natural seria o Dalton Balloni, diz.1

Na realidade, o cooperativismo passava a ser uma paixão, entusiasmando-o a novos projetos em defesa da classe médica. A UNIMED-Piracicaba era uma experiência vitoriosa e o estímulo para outros vôos.

A Eudes Aquino, no entanto, faziam-se novas críticas, algumas delas muito próximas das feitas a Manoel Gomes Tróia: o individualismo. Era como se a análise de Francisco Toledo não se esgotasse a respeito da formação individualista .e solitária do médico. Eudes Aquino fazia poucas reuniões e há médicos que se lembrem de que algumas das principais decisões administrativas eram tomadas à hora do almoço, quase sempre no Restaurante Garrote, à rua 15 de Novembro, nas proximidades da sede central da UNIMED. Duas lideranças fortes pontificavam entre os médicos mais jovens: Dalton Balloni e Paulo Tadeu Falanghe.

A questão da militância

O pensamento de Eudes Aquino a respeito da pluri ou dupla militância mudara. Na presidência da UNIMED-Piracicaba, a divergência que tivera com Manoel Gomes Tróia tomara novo rumo, levando-o a tornar-se decidido defensor da militância exclusiva.

Em dezembro de 1992, a Cooperativa lançara um informativo ao cooperado, como encarte do “Jornal UNIMED”, para expor “assuntos de domínio interno, que dizem respeito às nossas atividades médicas”, conforme o editorial assinado por Eudes Aquino.2 As preocupações com o momento econômico nacional são grandes. E uma outra avulta, no informativo da diretoria: a militância do médico. O título de uma coluna dirigida aos cooperados é duro e soa como advertência: “Dupla militância é dupla infração: à Lei das Cooperativas e ao Estatuto da UNIMED”.

A publicação é ainda mais severa. Iniciava com o preceito bíblico: “Ninguém pode servir a dois senhores”. E revela uma preocupação que repete a de Manoel Gomes Tróia: “(…) Aqui se configura a transgressão dos praticantes da dupla militância, porque, atendendo por outro sistema, retira receita da UNIMED, conflitando com seus próprios interesses e com os de outros associados. É exatamente isso que ocorre na dupla militância. O associado faz concorrência à sua cooperativa, prejudicando-a, já que causa perda de receita, em prejuízo dos próprios cooperados. Esta postura não é exclusiva da UNIMED-Piracicaba, mas de todas as UNIMEDs do Brasil.”

Era uma campanha forte pela militância exclusiva. Eudes Aquino, que defendera tese contrária, torna-se, a partir de então, um dos mais firmes adversários da dupla militância. E isso incomoda áreas da classe médica, que defendiam um outro discurso.

Entusiasmo e comunidade

A diretoria presidida por Eudes Aquino mostra atenção especial ao relacionamento com a comunidade. À saída de Nelson Bertolini, atarefado com outras atividades profissionais, o jornalista contratado é Maurício Cardinalli Petrocelli, em setembro de 1993. A proposta é de ampliar a área de comunicação, com o que Eudes Aquino concorda. E a UNIMED Piracicaba intensifica a sua participação nas promoções piracicabanas.

Há motivos para esse esforço. A atividade é febril. O Hospital conta 120 funcionários, a Cooperativa cresce.

Deixe um comentário