Grande Hotel Central

Grande Hotel Central

Felizmente, sobraram fotos, cartões postais que permitem, às novas gerações, saber um pouco da beleza arquitetônica do Hotel Central – Grande Hotel Central – como era conhecido. Foi um crime imperdoável que se cometeu contra a memória de Piracicaba, sendo derrubado na calada da noite para dar lugar a um garagem vertical. À época do crime lesa memória, o hotel pertencia à viúva de Aristides Gianetti, dona Lídia, que o vendeu para o Comendador Almeida, também presidente do Banco Português, homem de grande influência em obras que ainda hoje se realizam em Piracicaba.

Quando o mundo todo se volta para a recuperação histórica dos centros das cidades, de seus monumentos e arquitetura, Piracicaba amarga o desleixo, o assalto à memória, o desrespeito à história, marca registrada, talvez, de políticos e empresários apenas pragmáticos.

1 comentário

  1. Maria de Fátima Rodrigues Alves Nicolau em 30/10/2013 às 23:39

    Adorava ir lá e ver s tartarugas que lá moravam, meu pai Bernardir Alves Lisboa foi gerente do Hotel do saudoso Aristides, ele e sua esposa D. Lídia eram pessoas maravilhosas !!!!

Deixe um comentário