Depoimento: a Piracicaba de Suellyn

“Dentre outras coisas, Piracicaba me chama a atenção pelo dualismo entre tradição e vanguarda. Embora de porte médio, se mostra como uma pequena cidade do interior. Ela, que levou à fama nacional a chamada cultura caipira, trouxe para seu território uma das maiores universidades do país. Aqui, as batidas populares dos tambores africanos coexistem com as batidas eletrônicas de culturas recentes; o conhecimento tradicional das propriedades das plantas caminha ao lado do desenvolvimento de técnicas sofisticadas para manejos agrícolas e florestais. Meios de transporte movidos à força física, como bicicletas e barcos, transitam ao mesmo tempo que automóveis terrestres e até aéreos. E, claro, o ícone da cidade – o Rio Piracicaba – ainda segue o seu curso ao ar livre próximo do asfalto de ruas e avenidas.” (Suellyn Camargo, 35 anos, programadora cultural)

Piracicaba

Foto ilustrativa: Cynthia da Rocha

Neste semestre, comemoramos os 250 anos de Piracicaba, dos quais A Província tem registrado mais de 10 em sua versão eletrônica. Há 30 anos também já existia seu formato impresso e, há cerca de 60, o jornalismo de Cecílio Elias Netto – que se dedicou, mais que tudo, a contar a história desta cidade.

Agora,  A Província quer ouvir a “sua história de Piracicaba”, o olhar de cada um sobre o passado, o presente e o futuro da cidade! Envie seu depoimento para o e-mail redacao@aprovincia.com.br, ou registre aqui mesmo nos comentários, com seu nome completo, idade e profissão.

Participe e também faça parte desta história!

Deixe uma resposta