Saúde orienta sobre ações de prevenção à gripe A H1N1

diferenca-gripe-suina-com-comumPreocupada com o surto de gripe A H1N1 em algumas regiões do Estado de São Paulo, a Secretaria de Saúde de Piracicaba orienta a adoção de medidas simples de prevenção à doença, que nas suas formas mais graves pode matar. Outra medida adotada pela pasta é solicitar ao governo do Estado o envio antecipado da vacina contra a gripe, com o objetivo de prevenir a propagação do vírus no município.

Segundo o Ministério da Saúde, as vacinas para a campanha deste ano – programada para ocorer entre 30 de abril e 20 de maio – começarão a ser enviadas na próxima sexta-feira (1º) e serão repassadas aos estados em seis remessas. Conforme o ministério, as três primeiras entregas ocorrerão entre 1º e 15 de abril, quando 9,98 milhões de doses devem ser remetidas aos estados do sudeste.

“Normalmente a doença ocorre nos meses de outono e inverno (entre o fim de abril e início de maio) e neste ano já há registro de casos e alguns surtos desde o fim de fevereiro. A situação em Piracicaba ainda não é crítica, mas queremos nos antecipar e iremos tentar junto ao Estado que as doses da vacina cheguem antes à cidade para já iniciarmos a vacinação dos grupos indicados”, diz Pedro Mello, secretário municipal de Saúde.

A vacina contra a gripe é indicada para idosos (acima de 60 anos), gestantes, puérperas (até o 45º dia após o parto), crianças com idade entre seis meses e menores de cinco anos, profissionais da saúde, além de portadores de doenças crônicas do pulmão, coração, fígado, rim, diabetes, imunossupressão e transplantados, que podem usar a receita médica ou uma carta com indicação do médico para receber a dose da vacina.
MEDIDAS
Algumas medidas simples podem ser adotadas para prevenção à gripe A H1N1, como evitar locais com aglomeração de pessoas, pois isso reduz o risco de contrair a doença. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a principal forma de transmissão não é pelo ar, mas sim pelo contato com superfícies contaminadas.

Outras recomendações preventivas de caráter geral são a frequente higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel, retirando-se os acessórios (anéis, pulseiras, relógio), uma vez que estes objetos acumulam microrganismos não removidos com a lavagem das mãos; cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir; não compartilhar copos, talheres e alimentos; procurar não levar as mãos à boca, aos olhos e nariz; manter os ambientes, tanto da casa, quanto do trabalho, sempre limpos e arejados, além de manter uma boa alimentação e hábitos saudáveis.

A Vigilância Epidemiológica contabiliza, até o momento, seis notificações de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) de pessoas residentes no município, sendo que uma mulher na faixa etária entre 40 e 49 anos foi a óbito. Nenhum dos casos ainda foi confirmado para a gripe A H1N1.

Deixe um comentário