Sinfônica recebe soprano e tenor para programa Ópera em Concerto

Ópera em Concerto é o espetáculo de sábado, 7, da Orquestra Sinfônica de Piracicaba, sob regência do maestro Jamil Maluf. Obras de Bellini, Puccini e Verdi integram o programa, que recebe dois expoentes do canto lírico, Gabriella Pace, soprano, e Marcello Vannucci, tenor. A realização é do Ministério da Cultura e da Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural), com patrocínio da Raízen, Hyundai, Caterpillar e Bom Peixe, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. A apresentação, às 19h45, no Teatro Erotídes de Campos, no Engenho Central, tem entrada gratuita.

A primeira parte do programa tem início com a abertura da ópera Norma, considerada uma obra-prima de Vincenzo Bellini. Na sequência, Gabriella e Marcello entram em cena na ópera La Bohème, de Giacomo Puccini. Eles interpretam Mimi e Rodolfo no dueto final do primeiro ato, no momento em que eles se conhecem e se apaixonam. Segundo Jamil Maluf, este é um trechos que contém algumas das mais sublimes árias e duetos da literatura de ópera.

Após o intervalo, a Sinfônica executa a abertura da ópera A Força do Destino, de Giuseppe Verdi. No encerramento, Gabriella e Marcello retornam ao palco para Madama Butterfl¬y, de Giacomo Puccini. Eles interpretam Butterfl¬y e Pinkerton no dueto fin¬al do primeiro ato, trecho de forte carga emotiva em que a gueixa é renegada pela família por causa da opção em se casar com um oficial americano, numa história marcada pelo lema de que o amor está acima de qualquer preconceito racial.

Sobre Gabriella Pace e Marcello Vannucci, o maestro Jamil Maluf lembra que são “dois dos maiores cantores da atual cena lírica brasileira”. Radicada na Dinamarca, Gabriella venceu, em 2010, o Prêmio Carlos Gomes pela participação na ópera A Menina das Nuvens. Ela iniciou os estudos com o pai, Héctor Pace, foi aluna de Leilah Farah e Pier Miranda Ferraro. Participou de várias apresentações sob regência de Jamil Maluf, assim como Marcello, que também venceu o Prêmio Carlos Gomes em 2010 como melhor cantor. Ele estudou na Espanha com a soprano Magda Olivero e fez várias turnês nacionais marcadas por êxitos.

A temporada 2015 marca uma nova fase da Sinfônica, que inclui, entre outras coisas, a dinamização do repertório. A cada concerto, Jamil Maluf incluiu obras que expressassem os mais diversos gêneros e maneiras musicais, mas faltava uma ópera, sua especialidade. Ele regeu inúmeros títulos de óperas nos 34 anos em que esteve no Theatro Municipal de São Paulo e em várias outras casas do Brasil. Sobre as cenas de La Bohème e Madama Butterfly, que serão apresentadas, o maestro diz: “o público vai vivenciar duas das mais fortes histórias de amor, em seu sublime nascedouro, antes do trágico final que, para ambos os casais, se desenha no segundo ato das óperas”.

Este é o oitavo concerto da temporada, iniciada em abril em comemoração aos 115 anos da Sinfônica, e a penúltima apresentação de 2015. São apoiadores culturais da temporada a Empem (Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernst Mahle), o Jornal de Piracicaba, a Revista Arraso, a Rádio Educativa FM e a Maison Vivenda Buffet.

Antes de a Orquestra subir ao palco, o público assiste a palestra O Meu Concerto de Hoje, que será ministrada excepcionalmente por Marcelo Batuíra Losso Pedroso, doutor em direito pela USP e diretor do Jornal de Piracicaba e da Revista Arraso, também responsável por assinar as notas de programa mensais da Sinfônica. Diferente dos meses anteriores, o ensaio geral aberto no período da tarde não será aberto ao público, como forma de poupar os cantores, pois a récita contém trechos de grande exigência vocal.

SERVIÇO – Ópera em Concerto, com a Orquestra Sinfônica de Piracicaba, Gabriella Pace e Marcello Vannucci. Sábado, 7 de novembro, às 19h45, no Teatro Municipal Erotídes de Campos (avenida Maurice Allain, Parque do Engenho Central). Classificação livre. Os ingressos são gratuitos e a distribuição tem início uma hora antes da apresentação. Informações: (19) 3413-5212 ou www.fb.com/sinfonicapiracicaba.

Deixe um comentário