7 passos para mudar de carreira

1. Responda: trocar de emprego ou profissão?

Descubra se você realmente quer mudar de carreira ou só está cansada do seu chefe. Esse desânimo pode ser apenas descontentamento com seu atual emprego. Segundo uma pesquisa recente, sete em cada dez profissionais estão insatisfeitos com o trabalho e não com a profissão. Uma boa dica é se imaginar em outra empresa com suas funções atuais. Se isso não traz alívio, pode ser que, de fato, precise de uma mudança radical.

2. Invista no autoconhecimento

Quais são seus principais talentos? Pegue uma folha de papel e liste-os. Essa é uma forma de começar a enxergar novos caminhos. Fazer um teste vocacional também é útil para checar se o que está querendo tem mesmo a ver com você. “O primordial é identificar temas, áreas e atividades que a encantam. É preciso descobrir o que faz você se realizar, inclusive pessoalmente”, afirma o educador e especialista em orientação profissional Maurício Sampaio.

3. Planeje

O que devo fazer antes de mudar? Quais serão as etapas a seguir? Qual é o meu plano de ação? Pense em tudo isso antes de dar qualquer passo. “Não adianta acordar com aquela vontade de jogar tudo para o alto, ir lá e fazer. A chance de se arrepender é muito grande. A dica é analisar os riscos e estabelecer como você pode chegar aonde quer”, diz Sampaio.

4. Pesquise o mercado

Uma análise minuciosa de como está o mercado de trabalho para essa nova profissão é essencial. Para isso, valer conversar com pessoas que trabalham na área. Outra dica é cultivar uma rede de relacionamentos dentro desse novo cenário. “Para ser chamada, você precisa ser conhecida”, diz José Augusto Minarelli, fundador da Lens & Minarelli Associados, consultoria em transição e aconselhamento de carreira.

5. Capacite-se

Descubra quais cursos você pode fazer para se capacitar, quanto duram, qual é o custo… Se o que você quer é fazer doce para fora, por exemplo, não vacile e faça cursos de especialização para aprimorar a técnica e conhecer novas tendências. “O ambiente escolar também pode ajudar a entrar no mercado. Colegas e professores podem indicar você para alguns trabalhos se admirarem o seu desempenho”, avisa Minarelli.

6. Faça um pé de meia

Para Minarelli, é importante saber que essa transição de carreira pode demorar e que talvez você precise aceitar cargos inferiores (isso quer dizer ganhar menos!) até se estabilizar na nova profissão. Por isso, é muito importante que você tenha uma reserva financeira para ter tranquilidade nesse período e conseguir pagar as contas até se estabelecer.

7. Reavalie tudo

De tempos em tempos, faça uma autoavaliação para saber se você está no caminho certo, naquele que se propôs a seguir. “Hoje em dia muita coisa acontece ao mesmo tempo, então, é fácil desviar o foco”, diz Sampaio, que completa: “Reavaliar ajuda a minimizar os riscos. Não acaba completamente com eles, mas ajuda. Dá para reduzir a chance de erro em 70%”.

Deixe um comentário