2% ao ano: “estória pra boi dormir”!

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Confesso que em todos esses meus anos de existência, nunca presenciei um fato depois de dois pontos e entre aspas acima citado. Essa condição levada ao título, reflete a minha indignação pós-leitura, de matéria sob título: ‘Ações conjuntas para enfrentarmos a escassez de água’ (edição JP 12/03 – pág. 3), de autoria do senhor presidente em exercício dessa autarquia chamada Semae. Claro e evidente, que todo cidadão de bom senso, deve sim, fazer sempre e incondicionalmente do uso racional da água, energia e ambiente, situações de primeiríssima importância. Isso, é sim, uma questão de responsabilidade social e de sobrevivência desse planeta. Daí, nesse caso da água em particular, impossível não reconhecer a necessidade do seu uso com muito cuidado e economia. Entretanto, o poder público sempre joga a maior carga ao cidadão, pois levar 20 anos para reduzir 20% de perdas, que segundo eles hoje está em 45%, é fazer 2% ao ano… ou seja: nada! Por isso, eu acho tudo isso muito engraçado, pra não dizer irresponsável. Ele (o presidente), tempos atrás, foi de chapéu na mão pedir 20 milhões à prefeitura, para resolver de imediato o problema do odor da ETE – Piracicamirim, e agora, diz que o PDPF (plano diretor de perdas físicas), vai levar 20 anos nesse processo de caça vazamentos, pois precisa de 30 milhões em recursos para a execução desse trabalho. Isso me parece um descaso total com um líquido vital para a sobrevivência humana. Nesse ponto vale perguntar: Qual o montante financeiro do valor que será desperdiçado nos próximos 20 anos com vazamentos? Isso ninguém fala! Nessa hora, a gente nem precisa usar ‘ultraje a rigor’ pra perceber: que a gente não sabemos escolher presidente; a gente não sabemos tomar conta da gente, pois eles pensam que nós somos inúteu! – (sic)… ou pelo menos: analfabetos.

2 comentários

  1. Jairo Teixeira Mendes Abrahão em 13/03/2014 às 11:30

    Senhor Wilhe.Não entendo a razão de sua indignação! Há quantos anos Piracicaba e São Paulo (estado) elegem e reelegem governantes incompetentes? Esperar o que disso? Há algum tempo dirigi carta ao JP, momento oportuno, expondo as responsabilidades de Alkimim na não racionalização do uso do Sistema Cantareira. Como era contra o governo (falido) de São Paulo evidentemente não foi publicada!! Especialistas, então, afirmavam que se não chovesse nos próximos 60 dias haveria falta d’água, das boas!
    E, agora, me vem o senhor falar em não se saber escolher Presidente “…ou pelo menos: analfabetos”??? E, aí, senhor W.G. (privilegiado publicador de cartas do jp) ? Que beleza!! Responsabilizar, indiretamente, o Governo federal pelas obrigações estadual e municipal? Ora, faça-me o favor!!!
    Jairo Teixeira Mendes Abrahão

    • Jairo Teixeira Mendes Abrahão em 14/03/2014 às 19:33

      Senhor Wilhe. Solicito-lhe a fineza de desconsiderar meu comentário. Relendo seu texto verifico que não havia entendido o que o senhor quis dizer. Espero que me desculpe, principalmente pelo segundo parágrafo de meu comentário.

      Jairo Teixeira Mendes Abrahão

Deixe um comentário