ContraPonto: a sociedade corrupta

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

O atual sistema está agonizando de maneira irreparável. No Brasil e em todo o Planeta. A sociedade que ainda resiste sofre de doença crônica e sem cura: abandonando o projeto de Justiça e Amor ao próximo- caminho que passa pela renúncia a seguir multidões, como gado no pasto-, submete-se diante daqueles que lhe oferecem vida luxuosa e fascinante – caminho percorrido através da mesquinhez, do egoísmo e total afastamento de um projeto de vida cuja meta é a evolução. Isso é motivo  de sofrimento para aqueles que enxergam para além da matéria e para além do hardware de carne e osso do robô biológico programável que serve a cada uma de nossas almas individualmente; e para os comprometidos em construir uma sociedade mais justa.

Assumir a responsabilidade pelo fracasso histórico de um sistema que se corrompeu completamente, provocando a ruína de toda a Nação; compreender que a simples reforma de um sistema corrompido não gera nenhuma sociedade nova, apenas reanima o velho sistema que, cedo ou tarde, acabará sempre nos mesmos vícios; e trabalhar na construção de uma sociedade justa e fraterna-  voltada para a liberdade e a vida- mais que nunca torna-se o ideal a ser perseguido agora e sempre.

A reação humana, entretanto, é de total impotência. Qualquer sociedade que não tenha como alicerce a prática da justiça é uma sociedade que se autodestrói e, ao mesmo tempo, atrai outros a multiplicarem a injustiça e permitir que a opressão cresça: a injustiça floresce; amadurece a insolência; e triunfa a violência. Complementarmente, o coração de prostituta, que faz com o homem atraiçoe, e também o olhar de prostituta, que está sempre voltado para meros interesses pessoais, permeiam a nossa sociedade.

Quando uma sociedade rejeita a Justiça e o projeto de um mundo mais fraterno, ela substitui ambos pelo ídolo da riqueza. Esta, para ser acumulada, se serve infalivelmente do projeto de injustiça, que multiplica violências e crimes, explorando e oprimindo o povo. Tudo isso vem acobertado por belas palavras e sistemas complicados.

A função das autoridades é ajudar o povo a descobrir e concretizar na história o projeto da construção de um País e de um mundo melhor para todos, e deixá-lo como legado aos que nos sucederão na Terra e no Universo. O País está cheio de violência, de corrupção, de manipulações da opinião pública, de mentiras e de injustiças. Quando essas autoridades fazem acordos e alianças com os poderosos, a fim de preservar estruturas e instituições caducas, e assim conservar seu próprio poder, privilégio e prestígio, acabam transviando o povo e pervertendo completamente a própria função.

 

Enganadores do povo – O que pensar dos estúpidos da imprensa que inventam mentiras e divulgam notícias falsas, coisas que nunca viram, seguindo sua própria inspiração! Que raça de gente é essa? Versões mentirosas e previsões erradas dão no que está se dando. E aí? O que a Globo, Veja, Estadão, Jovem Pan, mídias menores espalhadas pelo interior do Brasil e apoiadores de falsos movimentos espontâneos de rua- que parece não passarem de fascistinhas mirins patrocinados por partidos políticos usurpadores da Nação- dirão ao povo? O País não está pior? Já tinham encontrado o bode expiatório, e a partir daí tudo o mais não estava resolvido? (Digam aí, enganadores. Rujam com seus miados de gatinhos mimados. Formadores de opinião de aluguel! A casa caiu para vocês).

Aviso e advertência, por parte dos sensatos, para que a sociedade pudesse reagir, evitando a catástrofe, não faltaram. As reações, entretanto, em geral são negativas: o povo se acomoda, os poderosos e autoridades menosprezam e desacreditam a palavra ou enganam o povo, dizendo que os problemas já estão resolvidos. E dado que as pessoas, em geral, só tomam consciência no extremo limite, essas autoridades e poderosos procuram evitar, a todo custo, que o povo perceba a gravidade da situação.

 

Falsos ídolos- Enquanto isso, os falsos profetas – espalhados pela imprensa, pela política,  pelos templos usurpadores da fé religiosa e pelas instituições diversas  continuam a agir tendo em vista os seus próprios interesses e não a defesa e o bem do povo. Para conseguirem o que querem, eles não vacilam: além de não fazerem nada para o bem do povo (apenas jogam migalhas transformadas em obras monumentais pela propaganda), ainda por cima, quando este toma alguma iniciativa para se defender, lá estão eles, em nome da “paz e da ordem”, para desvirtuar, esvaziar, cooptar e até roubar os méritos das iniciativas populares.

Levado pela insegurança, o povo vive em busca de alguém que em situações difíceis lhe possa dar orientação, conselho, discernimento. É quando os charlatães entram em cena: com muita esperteza, eles sabem tirar proveito disso, explorando sem escrúpulos a boa-fé e religiosidade do povo.

Nesse cenário surge a idolatria em cima de um salvador da pátria  construído pela mídia a absolutizar as coisas relativas. Esses ídolos, frutos de uma realidade distorcida, de um projeto de injustiça que produz vida e liberdade para poucos, enquanto a maioria fica  reduzida à escravidão e à morte. O auge da idolatria é a perversão total da consciência (coração), tornada incapaz de perceber as consequências que a adoração dos  ídolos provoca. Quando as coisas chegam a tal ponto, já não há mais remédio. Para quem perverteu  totalmente a consciência, o único meio possível de recuperá-la é sofrer as consequências desastrosas da idolatria. Os sobreviventes serão uma explicação viva de tudo aquilo que causou a ruína da sociedade.

***

Lava Jato – A quanto tempo essa coluna vem a alertar sobre o Abafa Jato que viria logo após encontrarem e condenarem o bode expiatório (PT), ao que se pode facilmente interpretar?

***

Frase de hoje: “O homem é corrupto e mau”. (Bíblia Sagrada – Livro do Genesis)

***

Fidel Castro – Apesar de toda máquina de propaganda anticomunista mundial – inclusive brasileira – ter tentando destruir o regime cubano e seu idealizador, Fidel venceu. Os que o acusavam de perseguição aos seus opositores sempre ignoraram –  e se calavam – que se mata mais com  canetadas do que um presídio de exceção.  Os hipócritas que defendiam os dissidentes do regime cubano jamais se preocuparam com Cuba e com o seu povo privado pelos cruéis embargos que sofreu. Fidel cuidou de seu povo. Morre Fidel, a semente fica.

***

Homenagem: Ao glorioso Esporte Clube XV de Novembro pela inédita conquista da copa Paulista 2016. Vai, XV!!

Deixe um comentário