Cordas de Cobre

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

corda

Tua dose correta faz meu alento

Meio a tantas esperas, tanto ris

De todas tuas rosas, sou colibri

Presença que rege meu batimento.

 

Falta-me a calma que temo partir

Unindo em minha noite, num só momento,

Prendi; somos um, meus dois sentimentos

Perto ou distante, récitas teci.

 

Se Violeta é nobre, Julieta pobre,

Quimicamente num choro bel-pranto,

Faço-te em valsa; a polca que desdobre.

 

Pro meu bandolim, em pleno dia-santo,

Tocando em teus cachos feitos de cobre

Fiz novo acorde em cortejo ao teu canto.

Deixe um comentário