Qual a diferença entre o político, uma batata e uma melancia?

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

images (13)Sob o ponto de vista da normalidade, penso que nada!.. pois um é ser vivo, pensante – a batata enterrada e a melancia ao sobre solo. Mesmo assim, com todas essas evidências verdadeiras, me permito discordar, dizendo que a quase totalidade dos políticos são iguais a uma melancia.

Senão vejamos: No verão, basta o tempo fechar, chover forte alguns minutos, para que o sossego e o humor do já sacrificado cidadão, literalmente veja seus sonhos indo pra debaixo d’água, pois importantes e crônicos problemas de alagamentos estão difusos por toda a cidade. Mas aqui, em especial, gostaria de mencionar tão somente dois: Baixio do Morumbi, tendo como referência principal a Rua Dr. Jorge A. da Silveira, perfazendo um total de 12 hectares, ou quarteirões como queiram, e a Bacia do Itapeva, que coleta toda a água superficial que escoa pela av. 31 de março, e é, por certo, o mais antigo problema central dos alagamentos.

O caso do Morumbi começou na década de 60/70, quando pessoas na maioria das vezes humildes, foram enganadas por loteadores inescrupulosos. Entretanto, com o crescimento populacional o bairro expandiu e com ele a recorrência das inundações. Tantas foram as reincidências, que os moradores até se esquecem do quanto tiveram que recomeçar de novo e em muitos desses casos, o recomeço, por falta de uma condição melhor, ficou restrito ao juntar o que sobrou… nada! Teve até gente querendo vender o imóvel ofertando um ‘kit alagamento’… com boias, snorkel, pés de pato e até barco de alumínio com remos na garagem. Será que você se habilita?

Nesses anos todos, fico a pensar quantos milhares de reais foram perdidos por residentes e empresários da área, e quantos minguados reais foram investidos sem competência pelos prefeitos de todos esses tempos, pois entra ano, sai ano, passam-se décadas e políticos de todos os tipos, raças, formações profissionais e religiões não resolvem esse problema crônico e recorrente, deixando que tudo continue a encher… até o saco!

Como não bastasse tudo isso, o nosso atual prefeito, em programa ao vivo numa dessas manhãs da rádio Educativa FM, não sei se por desconhecimento ou incompetência, teve a ousadia de responder ao questionamento de um ouvinte sobre as constantes inundações, afirmando que o governo federal não autoriza financiamentos em projetos desse porte. Não dá pra acreditar, já que isso é problema de infraestrutura, que afeta diretamente a cidadão e a saúde pública. A única certeza que esses moradores têm, é que daqui a pouco o carnezinho do IPTU vai chegar, sem a dar a mínima para todos os problemas e transtornos causados.

Por isso, para mim todos os políticos, vereadores, secretários e prefeitos que por aqui passaram, inclusive os atuais, são iguais à melancia, que pela cor bonita, lustrada e por estar acima da terra, saltam aos olhos, rendendo votos, diferentemente da batata, que debaixo do solo por mais importante, nutritiva e necessária que seja, ninguém vê. Talvez seja por isso que o governo passado ergueu um peixe de concreto na entrada da cidade.

Nessa altura, acho que até tudo bem! Só penso que deveriam muda-lo para um desses dois lugares, pois aí, ele estaria vez por outra, em seu ‘habitat’ natural.

Como publicitário que sou, se valer a sugestão, talvez possam usar a melancia como símbolo de campanha. Imagine só a visibilidade que dá ainda mais se pendurada no pescoço!

Deixe um comentário