Turtle paces

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

download (17)Diante de tantos apelos das escolas da língua inglesa por ocasião da Copa, resolvi, por conta, treinar o meu inglês tupiniquim do ‘The book’s on the table’. Daí resolvi arriscar no título ‘Turtle paces’ (passos; ritmo de tartaruga), para nominar a vontade das obras sociais em nosso município. Bonito né! E pra entender essa lerdeza, basta ver o tempo demandado em algumas obras de relevada importância para a cidade, nas áreas de turismo, educação e cultura. O Teatro Municipal, por exemplo, até dias atrás continha uma placa indicando o término das obras para novembro do ano passado. Agora apareceu outra com data para maio deste ano. E olha que à época, uma secretária de governo disse tratar-se de pequenas reforminhas. Outra obra, a recém-construída BIBLIOTECA Municipal, que segundo o arquiteto ‘mor’ do IPLAP, também passaria por pequenas obras corretivas, tá aí, também atrasada. A terceira nessa condição de arrastada promessa, é a Ponte Pênsil, em local estratégico e de visibilidade turística da cidade, que vai e vem; volta, e fica como está: Enrolada!.. pois essa parece a intenção nesta obra, desde que o poder absoluto do ‘ex’, ergueu a suntuosa estrutura de concreto em passarela entre as ruas XV e Rangel. Nesse caso, uma intenção me parece clara: – a tentativa de levar a população para a obra tucana, já que a rivalidade partidária com os petistas é digna de um clássico entre “Parmera e Curinthias”… Além disso, me parece absurdamente demorado o argumento de necessidades de peças substitutivas. Será que mandaram fazer na Cochinchina? Acho que não né. Senão, já teriam entregue. Daí comentando com um amigo meu, ele disse que se gente der duas tartaruguinhas pra eles cuidarem, corremos o risco certo, que perdem pelo menos uma; quem sabe as duas. Bom, a prosa até que tá boa, mas como o negócio é largar o corpo, vou copiar essa gente; puxar uma rede e deitar à sombra, pra ver se o tempo passa mais depressa.

Deixe um comentário