Curadores do 10º Fentepira definem programação

O Concerto da Lona Preta - foto Henrique AlonsoOs curadores do 10º Fentepira (Festival Nacional de Teatro de Piracicaba) definiram os espetáculos da mostra oficial, selecionados entre os 253 inscritos, de 75 cidades brasileiras. Grupos de São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Distrito Federal compõem a programação de 7 a 15 de novembro, a partir dos critérios estabelecidos pelo ator e diretor Jorge Vermelho e do ator e professor Valdir Rivaben.

A análise ocorreu a partir de 172 montagens inscritas de São Paulo (incluindo capital e interior), 27 do Rio de Janeiro, 14 de Santa Catarina, nove de Minas Gerais, oito do Paraná, sete do Rio Grande do Sul, três da Bahia, duas do Ceará, Goiás, Pernambuco e o Distrito Federal, e uma de Alagoas, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Paraíba.

As curadoria se pautou na diversidade das propostas artísticas, onde o “pensar e o fazer fossem indissociáveis”, e contemplou grupos consolidados em suas pesquisas. Além da qualidade da encenação, as produções provocam os espectadores e trazem “novos respiros à cena teatral. “Debruçamo-nos nas nossas inquietações como artistas e buscamos identificar espetáculos que traduzissem a excelência do ofício teatral”, contextualizam Rivaben e Vermelho.

Da capital paulista estão selecionadas as peças Cartas Libanesas, de  Eduardo Mossri e José Eduardo Vendramini; O Concerto da Lona Preta, da Trupe Lona Preta; e Abnegação, do Tablado de Arruar. Também contemplados estão As Estrelas são para Sempre?, do grupo Katharsis, da Uniso (Universidade de Sorocaba), e Misanthrofreak, do Grupo Desvio, de Brasília (DF).

Duas peças são para crianças e adolescentes: O Som das Cores, da Catibrum Teatro de Bonecos, de Belo Horizonte (MG), e Um, Dois, Três: Alice!, da Téspis Cia. de Teatro, de Itajaí (SC). Para Vermelho e Rivaben, elas colocam, sem concessões, o teatro “para os pequenos” em pé de igualdade com o “teatro para adultos”.

Três peças de grupos piracicabanos, entre as seis inscritas, integram o Festival. Esta foi uma sugestão da comissão organizadora, como forma de assegurar maior participação dos coletivos locais. Os selecionados são Muda por Amor, da Cia. D’Vergente de Teatro, sob direção de Roberto Innocente; Lodo, da Cia. Te-Ato de Teatro, dirigido por Felipe Trevilin; e Degredo, com direção de Thaís Dias, do Grupo Forfé.

Na análise sobre as produções locais, Vermelho e Rivaben explicam que o objetivo é privilegiar grupos comprovadamente presentes na elaboração da pesquisa e que apresentam, ao mesmo tempo, “uma maturidade a caminho do profissionalismo, definindo suas personalidades e projeto artístico”.

Os curadores acreditam que, entre as 253 produções inscritas, nota-se o predomínio de propostas híbridas, com dramaturgias de caráter contemporâneo ou que valorizam o trabalho dos intérpretes, a ousadia cênica pós-moderna e o ofício do ator e do coletivo.

A equipe do Teatro Municipal Erotídes de Campos, responsável pela montagem da grade de programação, está em contato com os grupos para estabelecer as datas e os horários das apresentações. Se houver choque de agenda, a curadoria apontou uma lista de suplência, que não é divulgada oficialmente.

Rivaben e Vermelho informam que a busca é por colocar o Fentepira “em diálogo direto com a cidade e com a classe artística local, apontando caminhos que possam gerar perspectivas de encontros e discussões. “Um festival é um território inquieto e, para tanto, desejamos que os espectadores saiam de suas confortáveis poltronas e inquietem-se diante da possibilidade do novo”.

Em breve serão conhecidos os integrantes da comissão debatedora do Fentepira. Eles participam, após as apresentações, de bate-papos com os grupos selecionados e plateia. O objetivo é que os grupos tenham acesso a uma análise apurada sobre suas produções e o público possa aprimorar o olhar sobre as várias formas do fazer teatral.

ESTUDANTIL – Integrada ao Fentepira está a 22ª Mostra de Teatro Estudantil, que recebeu 25 inscrições. A comissão organizadora do evento também está em contato com as escolas para conciliar as agendas. Neste caso, as apresentações acontecem de 3 a 6 de novembro, no Teatro do Engenho, Colégio Piracicabano e Teatro do Sesi.

Realização da Prefeitura do Município de Piracicaba por meio da Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural), o 10º Fentepira e a 22ª Mostra de Teatro Estudantil integram o Calendário Oficial de Eventos da cidade, por meio das leis municipais 6.072/2007 e 7.941/2014, respectivamente.As instituições parceiras desta edição são o Sesi, Sesc, Senac, Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), Colégio Piracicabano, Poiesis – Organização Social de Cultura, Ponto de Cultura Garapa, Apite! (Associação Piracicabana de Teatro), CoMCult (Conselho Municipal de Cultura), Associação Cultural e Teatral Guarantã, Jornal de Piracicaba, Revista Arraso, Secretaria Municipal de Educação, Centro de Comunicação Social e Rádio Educativa FM.

Espetáculos selecionados para o 10º Fentepira

Piracicaba

Cia. D’Vergente de Teatro
Espetáculo Muda por Amor

Cia. Te-Ato de Teatro
Espetáculo Lodo

Grupo Forfé de Teatro
Espetáculo Degredo

Estado de São Paulo

Eduardo Mossri e José Eduardo Vendramini – São Paulo (SP)
Espetáculo Cartas Libanesas

Grupo Katharsis – Sorocaba (SP)
Espetáculo As Estrelas são para Sempre?

Trupe Lona Preta – São Paulo (SP)
Espetáculo O Concerto da Lona Preta

Grupo Tablado de Arruar – São Paulo (SP)
Espetáculo Abnegação

Outros estados

Grupo Desvio – Brasília (DF)
Espetáculo Misanthrofreak

Catibrum Teatro de Bonecos – Belo Horizonte (MG)
Espetáculo O Som das Cores

Téspis Cia. de Teatro – Itajaí (SC)
Espetáculo Um, Dois, Três: Alice!

Deixe um comentário