Cemitério sem mortos

O cemitério novo de Piracicaba, aberto em 1872, como descrevem documentos da época, “no alto da mais bela colina da cidade”, permaneceu vários meses a espera de alguém que ali fosse enterrado. Tendo suas obras concluídas em 17 de fevereiro, quando um portão de ferro foi colocado por Joaquim Lordello, em maio o “campo santo” recebeu a benção eclesiástica do Padre Joaquim Cipriano. Ele acabou sendo inaugurado, no entanto, apenas em 2 de dezembro, quando ali foi enterrada uma negra escrava, de nome Gertrudes, com 45 anos de idade.

Deixe um comentário