Em 1964, “carros de praça” usam taxímetros

Eles eram românticos, quase amadores e eram conhecidos como carros “carros de praça” .. Começaram a modernizar-se quando surgiram os taxímetros, em 1964, por lei criado pelo vereador Rubens Leite do Canto Braga que, refletindo sobre o progresso, em suas justificativas alegou que dele partia a exigência da mudança de hábitos. E dizia: “os carros de praça, apegados a um sistema de zoneamento antiquado e injusto, de funcionamento cada vez mais difícil, possibilita alguns motoristas cometer verdadeiros assaltos ao bolso do povo, cobrando preços verdadeiramente extorsivos em suas corridas”.

A lei acabou sendo promulgada pelo próprio presidente da Câmara, já que o prefeito Luciano Guidotti não a sancionou ou vetou dentro do prazo legal. Além e definir a obrigatoriedade do taxímetro, a legislação indicava que deveriam ser revistos os locais dos pontos de táxi que, à época, concentravam-se em torno da praça central. Os carros de aluguel conhecidos como “biribas” – os Fuscas e outros modelos menores, como Gordini e Dolphini – deveriam conceder 30% de abatimento no valor da bandeirada e na taxa de percurso.

 

Deixe um comentário