O surgimento dos varejões, a readequação das feiras livres

Durante décadas, as feiras livres, também em Piracicaba, se constituíram em opção de compras a verduras, frutas e legumes, especialmente em bairros mais distantes, onde as grandes redes de supermercados, até a década de 80, ainda não haviam se instalado. Segundo estudo da ESALQ, as primeiras feiras apareceram em 1957, sobrevivendo ao longo das décadas para, em 1991, ainda existirem 19 em funcionamento. Com um detalhe significativo: neste período, elas apresentavam maior volume de vendas de verduras, legumes e ovos do que as próprias quitandas e supermercados.

Uma outra forma de comercialização, entretanto, apareceu em 1982, quando se criou o primeiro varejão, instalado no antigo barracão da estação Sorocabana. Fazendo com que os produtores locais vendessem diretamente ao consumidor, com preços mais vantajososos, em média 30% mais baixos, ele passou de 592 toneladas vendidas no ano de criação para 6.932 toneladas em 1987, segundo dados da Prefeitura Municipal.

Ao início da década de 90, entretanto, o produtor rural instalado no município produzia poucos itens que garantiam a auto-suficiência no abastecimento. Ainda segundo a ESALQ, ela se dava apenas com relação à abobrinha, beringela, alface, couve-flor e, com excedente, laranja, mandioca e alho.

Deixe um comentário