Saúde inicia projeto-piloto de monitoramento de mosquitos Aedes aegypti adultos

A Secretaria de Saúde de Piracicaba começa a implementar um projeto-piloto para monitoramento de mosquitos Aedes aegypti adultos no município, de acordo com informações do site da Prefeitura. O objetivo é agilizar o combate ao vetor que transmite a dengue e outras doenças por meio de informações precisas e atualizadas da população do mosquito nos bairros onde o projeto será desenvolvido de forma experimental.

Realizado em parceria com a Helpinsect, o Monitoramento Inteligente da Dengue (MI Dengue) é desenvolvido pela empresa Ecovec e em Piracicaba será feito nos bairros Vila Monteiro e Vila Fátima. O projeto tem duração de três meses e permite, a partir da instalação de armadilhas específicas, a captura de mosquitos adultos do Aedes aegypti, sua identificação e análise para saber se os mesmos contêm algum tipo de vírus da dengue.

De acordo com Luís Felipe Ferreira, diretor de Relacionamento da Ecovec, foram instaladas 14 armadilhas em cada bairro que fará parte do projeto-piloto. Cada equipamento terá uma distância de 250 metros um do outro. “Atualmente o combate à dengue em Piracicaba é direcionado quando é confirmado um caso de dengue em determinado bairro. Com as armadilhas da Ecovec, teremos a possibilidade de antecipar o combate antes mesmo do mosquito agir”, destaca.

Com um sistema GPS via celular, um mapa irá mostrar onde há infestação do mosquito nas áreas onde estão instaladas as armadilhas. Com uma escala de cores, que vão do verde ao vermelho, poderá ser monitorado o índice de infestação. “Este monitoramento é realizado semanalmente com a retirada do conteúdo das armadilhas pelos agentes do combate a dengue do município e os mosquitos capturados são enviados para análise em nosso laboratório, em Belo Horizonte”, explica.

Coordenador do PMCD (Plano Municipal de Combate à Dengue), Sebastião Amaral Campos, o Tom, explica que o projeto-piloto é uma aposta do município para ampliar as ações de combate à dengue. “Estive com o secretário de Saúde em junho em Porto Alegre para conhecer a tecnologia do MI Dengue. Consideramos o sistema eficiente e por determinação do secretário decidimos fazer esse programa piloto na Vila Monteiro e Vila Fátima”, afirma.

O projeto-piloto teve início no final de outubro com a capacitação dos profissionais da Helpinsect, que serão responsáveis pela instalação, manutenção e monitoramento das armadilhas nas duas áreas escolhidas. “Os primeiros resultados já devem estar disponíveis na plataforma do sistema na próxima semana”, diz Ferreira.

Deixe um comentário