DE OVOS, COELHOS E RESORTS

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

coelho-com-ovo-pascoa-festas-pascoa-pintado-por-mariela-1008878Não. A galinha não sabe disso. E nem a pata. E o coelho não faz a mínima ideia. Nunca receberam sua parte por serem suados como protagonistas da Páscoa. Também, quem mandou serem os animais mais fecundos e dadeiros. Ovos é produção vinte e quatro horas. Coelhos leve um casal para a casa e espere alguns meses e terá a casa cheia. Os orelhudos podem procriar 4 a 8 ninhadas por ano. É Só deixar.

Por isso eles foram incorporados às festanças da Páscoa. Porque Páscoa é fecundidade de vida. O túmulo de Jesus se transformou em útero incubador da semente da vida. Mais que tumulo frio era um ovo medrador da semente da vida.  Um coelho que nãos se cansa de parir. Nas quaresmas dos antigamente nãos e podia consumir ovos. E as galinhas e patas não sabiam disso e continuaram botando. E era tanto ovo e tanto coelho que os russos, poloneses, alemães e ucranianos resolveram pascoalizar os ovos e coelhos. E por falta de melhor idéia (não existiam os marqueteiros ainda!) botaram o coelho pra carregar os ovos. Foi o achado da hora.

Foi a galinha dos ovos de ouro do mercado. O ovo passou a ser o ícone do desejo de reis e rainhas e da plebe. O fetiche do momento. Ovos naturais, ovos folheados a ouro, ovos recheados, verdadeiras obras de arte.

Mas aí veio a industrialização. A industrialização com o conceito chique de que tudo o que é natural é cafona. Substitui o ovo da galinha pelo chocolate, para sossego do fiofó das poedeiras. E a Páscoa, maior festas dos cristãos, foi encampada pelo comércio e pelos fabricantes de chocolate. Todos ecumênicos.

E o coelho foi preservado. Continua carregando cestas e carrinhos de ovos de todos os tamanhos, confundindo a cabeça das crianças que já não sabem a quem atribuir à autoria do ovo: se à galinha ou ao coelho. Mas todo mundo tem a convicção inabalada de que Páscoa é só comer ovos e dar coelhinhos de persente… Já Jesus… Ele foi trocado pelo papai Noel no seu nascimento… Que importa que o façam de coelho na Páscoa?

Outra coisa bem Páscoa é o resort, a praia, a chácara, a pescada, o feriadão espichado. Também, pudera! O padre e o pastor ficam falando o tempo todo de Bosque das Oliveiras, Jardim do Getsemani, Mar da Galileia, Montanha do Calvário, piscina de Siloé… quem resiste? ! Vamos preparar a mochila e vamos pegar o estradão engarrafado, o Calvário dos passeadores das Páscoa de hoje.

Pe. Otto Dana – Pároco Emérito da Igreja Sant´Ana em Rio Claro –SP

Deixe um comentário