Uma luneta para as alturas

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Luneta-fotosEm pleno século XXI, tenho nítida a sensação de estar vivendo numa província de uma Capitania parada no tempo. E nela, não consigo entender, que um determinado secretário da Capitania Hereditária situada na Torre das Decisões Políticas da margem esquerda do rio mais importante que corta a nossa província, não tenha enxergado ou pelo menos se sensibilizado em tirar proveito da seca que assola a região, no intuito de promover a limpeza e desassoreamento dos corpos d’água inscritos em nosso solo. Se não for comodismo, penso que seja pura falta de visão, para entender que já está passando da hora de se fazer a recuperação da infraestrutura de escoamento hídrico dos córregos, ribeirões e rios, na antevisão dos períodos dos volumes de chuvas e consequentes enchentes. O pensamento parece ser tão arcaico, que ao invés de binóculo, resolvi indicar uma luneta, na esperança que o secretário responsável pelas obras da província consiga enxergar aquilo que só ele, ainda não viu: matos e sujeiras obstruindo os leitos d’água. E se mesmo assim não resolver, posso sugerir uma consulta oftalmológica ou até mesmo umas vitaminas, para injetar ânimo nesta aparente falta de visão e vontade.

1 comentário

  1. Gleison em 04/09/2014 às 20:04

    Caro Wilhe, não se esqueça que estas ações por você propostas não resultam em votos. O povo prefere obras viárias: avenidas, rotatórias, pontes, viadutos. Mesmo que desnecessários ou de prioridade questionável.

Deixe um comentário