Panfletagem e descoberta da roda.

Se é louvável a preocupação da Secretaria de Meio Ambiente, através do engenheiro Rogério Vidal, em apontar as irregularidades da chamada “panfletagem” nas ruas da cidade, soa como ingenuidade a descoberta de que 70% dessa distribuição de folhetos é ilegal. Ingenuidade, insistimos, porque confessa um dos maiores problemas de Piracicaba na área de segurança, de meio ambiente e, portanto, de qualidade de visita: falta de fiscalização, de policiamento, de agentes preparados para a vigilância legal.

Confesso que, de minha parte, perdi a conta dos longos anos que, por colunas de jornais, cumpro a missão jornalística de apontar às autoridades o que elas não querem ou realmente não vêem. O povo vê. Qualquer cidadão, em qualquer esquina central é abordado por “panfleteiros” que burlam as posturas municipais, as calçadas e sarjetas entulhadas de papéis e folhetos, o perigo que causam a motoristas e a pedestres, desviando atenções nos intervalos dos semáforos.

Piracicaba tem sido uma cidade suja nos últimos anos. E não é só por questão da panfletagem como, também, dos ambulantes que, conforme se irá descobrir a partir de qualquer fiscalização, não possuem licença para esse tipo de comércio. Mais ainda: chegam de outras cidades, vendem seus produtos, vão-se embora como se fosse um direito já adquirido. Por que, por exemplo, não se vai à Rua do Porto para fiscalizar o comércio ilegal e irregular de ambulantes, muitos deles vindos de cidades das vizinhanças?

A Secretaria do Meio Ambiente fez a advertência e foi em boa hora, pois é uma voz oficial protestando exatamente contra o descaso oficial. Confirma-se o que toda a cidade sabia. Mas, ainda que oportuna a manifestação, foi como se se tivesse descoberto a roda. Que o povo já descobrira.

E os outdoors, da própria Prefeitura? E o som altíssimo de comerciantes, de festas clandestinas em lugares não autorizados? É papel, também, da Secretaria de Meio Ambiente avisar o sr.Prefeito que poluição visual é uma grave forma de poluição também. Fica chato para a Secretaria do Meio Ambiente saber que, em sua própria casa, a poluição é oficial.

Deixe um comentário