A primeira Câmara pós Proclamação da República

Por mais benefícios que tenham trazido a Piracicaba – e foram muitos – os Moraes Barros mostraram, desde o início da República, que iriam “fazer política” para vencer e chegar ao poder, sem dó ou misericórdia. Foi no dia 30 de agosto de 1892 que se realizaram as prmeiras eleições municipais já dentro da ordem republicana. Não havia, então, eleição para prfeito. As cidades seriam administradas por um Conselho Municipal, o “Conselho de Intendência”.

Dois partidos disputaram aquela primeira eleição: o Monarquista, comandado pelo Barão de Rezende, e o Republicano, chefiado por Paulo de Moraes Barros, sobrinho de Prudente de Moraes. Os “republicanos” tiveram a vitória estrondosa, assustando os monarquistas. Paulo de Moraes Barros conseguiu, para impressionar os eleitores, que chegassem a Piracicaba, vindos de São Paulo, “50 praças e 6 corneteiros”. Eles desfilavam pela cidade fazendo demonstrações marciais que encantavam a população. Os republicanos venceram de cabo a rabo. E os monarquistas do Barão de Rezende nem sequer compareceram às eleições.

Mesmo assim, a composição da primeira Câmara Municipal foi eclética. No dia 29 de Setembro de 1892, era empossado o primeiro Conselho de Intendência da Piracicaba republicana: Manuel de Moraes Barros, Joaquim Fernandes de Sampaio, Francisco Florêncio Rocha, Joviniano Reginaldo Alvim, Antonio de Paula Leite Filho, João Augusto de Brito e o Barão de Rezende. Com foguetório e banda de música.

Deixe um comentário