Influência da Lua

LuaDescobri os mistérios da Lua nas pessoas. Há quem tenha medo de acreditar nisso, como se fosse questão esotérica ou apenas superstição. Já perceberam, por exemplo, como os religiosos e os pragmáticos têm tantas coisas em comum, apesar de se dizerem diferentes. Uma dessas coisas é acreditar no resultado. Tanto um como outro age em busca de um resultado, seja por aqui mesmo, seja por lá onde não se sabe.

Há pessoas que, quando se fala da influência da Lua sobre as gentes, riem, ou se afastam de tais maluquices. Mas até o povo – e especialmente ele – sabe dessas coisas. “Ih, hoje fulano está de lua: ou não está na lua boa.” – não é o que o povo fala? Pois é sábio, vendo a Lua influenciar as marés, as colheitas, o plantio, a prenhêz das fêmeas e a gravidez das mulheres. Portanto, somente tolos não acreditam na influência permanente da Lua sobre nós.

Eu também não acreditava e, então, comecei a perceber coisas, como se meu organismo reagisse e, por consequência, o espírito. Havia dias,de criação delirante; outros, de lassidão quase depressiva. Meu azar é que sou leigo nessas questões lunáticas e, ainda, não consegui entender as coisas como devem ser. Pois nem todas as luas-cheias produzem os mesmos efeitos; e nem todas as minguantes, crescentes ou novas. É como se cada lua fosse uma lua, sei lá. O fato é que as coisas são como são e não adianta brigar com elas.

Certa vez, era Lua minguante e eu já a havia percebido na véspera. Era das boas, pelo menos para mim, desafiando-me a entendê-Ia porque houve minguantes ruins. Era das boas porque me senti delirando, exatamente no chamado mundo-da-lua, onde tudo fica não apenas mais bonito, mas mais fácil de se compreender. Porque se compreende pelo coração.

Comigo, começa com uma transpiração diferente, quase que suores frios. E uma quentura na cabeça como se os neurônios aumentassem a velocidade com que funcionam. Os poetas compreendem isso.

Reproduzo agora um trecho de Thiago de Mello, no livro “Horóscopo para os que estão vivos”. Lá, ele fala: “Agarra-te à tua intuição, companheiro que nasceste seduzido pela Lua, essa terrível e fascinante Lua, que altera a tua vida com seus impulsos inumeráveis e te converte tantas vezes em um ser extravagante e incompreendido pelos outros”.

*Publicada originalmente na Tribuna Piracicaba em 16/03/1993nn

Deixe um comentário