“Quer conhecer um homem? Dê-lhe o chicote.”

poderNão adianta mais. A única saída para este país – e para Piracicaba – é uma profunda e séria reforma política, a busca de uma nova democracia. A classe política brasileira – incluindo a piracicabana – deteriorou e de tal forma degenerou que não há mais o que a redima. Há que haver uma varredura ampla, definitiva e consciente. As sempre honrosas exceções são esmagadas. O povo já está nas ruas e voltará com animosidade ainda maior. Infelizmente, há os bárbaros e os covardes mascarados. Mas os verdadeiramente indignados e crédulos em manifestações pacíficas são a maioria e cada vez mais alimentados pela idiotice, pela ousadia, pelo atrevimento da classe política. Esse cinismo é o atiçador de uma provável e possível grande combustão.

Há um provérbio popular que nos ensina: “o uso do cachimbo entorta a boca.” Isso pode ajudar a entender como a corrupção age também na política: devagarinho, aumentando conforme o tempo dentro do poder e, finalmente, substituindo valores morais por materialismos abjetos. Quanto mais tempo no poder, mais possibilidade há de se especializar em malandragens e na corrupção. Desgraçadamente, porém, os principais segmentos dos meios de comunicação – impressos, eletrônicos, etc. – são parte, hoje, de esquemas e de acordos nem sempre honrosos. Pretende-se a sedação e a paralisação das mentes, com o propósito pérfido – que faz parte da cultura de massas – de industrialização do espírito. Canso-me de bater nesta tecla. Mas também acontece em Piracicaba.

Um outro provérbio – que, em minha infância, meu pai dizia ser dos árabes – diz o seguinte: “Se queres conhecer um homem, dê-lhe o chicote.” O homem justo saberá usá-lo com justiça e honradez, tendo Cristo como exemplo, que expulsou, a chicotadas, os mercadores do templo. Mas o homem ambicioso, de caráter dúbio, ganancioso, demagogo,  usa o chicote com tirania e sem qualquer espírito de justiça e de ordem moral. Assim nascem os ditadores e tiranos, os que usam o chicote com maldade, com espírito de vingança, com ódios e ambições.

Infelizmente, o vereador João Manuel – atual presidente da Câmara Municipal – enquadra, com espantosa visibilidade, a sua biografia a esse perfil: o uso tão longo do cachimbo político lhe entortou a boca. E, hoje, aquele jovem humilde, prestador de serviços no terceiro ou quarto escalão dos funcionários da UNIMEP – hoje, repito, aquele então jovem aparentemente idealista se tornou parte de toda uma estrutura que repugna, adquirindo poder a cada mandato, gostando do poder, cegando-se pelo poder. Até que, finalmente, revelou-se por inteiro diante do segundo provérbio: “Se queres conhecer um homem, dê-lhe o chicote.”  Na verdade, João Manuel caducou e não sabe. Caducar significa perda do prazo de validade. Estes tantos mandatos de João Manuel mostram a caduquice do cargo.

João Manuel está cego pelo poder, pela ambição e pela certeza da impunidade. Para ele, parece  pouco  lhe fazer  o que pensa e deseja a população. Na cegueira do poder, dá-se, a si mesmo, atributos  de ditador, como se ele – hoje, um homem rico, abastado – fosse o dono e proprietário da Câmara Municipal onde, aliás,  tem muitos vassalos. João Manuel usa o chicote por interesses pessoais, sem qualquer escrúpulo. Ora, a sua esdrúxula decisão de exonerar o Chefe de Gabinete de um outro vereador – no caso, Antônio Osvaldo Storel e o vereador Paulo Camolesi – é uma mancha que se não  apagará jamais dos anais do Legislativo. E que servirá, para sempre, como símbolo destes nossos dias sombrios, imorais e indecentes.

Prometi-me, a mim mesmo,  jamais voltar  a tratar de política municipal, tal o desencanto que me alcançou. No entanto, o desencanto maior estava no fato de ver e constatar de  nada terem valido  as lutas, os sacrifícios, as mortes, as torturas de muitos da minha geração que lutaram pela liberdade, contra a ditadura e na esperança de um novo Brasil. Deu no que deu, desgraçadamente. E aqui estou, ainda, descobrindo que não tenho o direito de me calar, que não tenho estômago de avestruz. Se eu me calar, não serei digno de me considerar jornalista, mesmo já como homem idoso. Devo essa minha redescoberta à postura lamentável  que João Manuel  insiste em revelar. Piracicaba e homens e mulheres decentes – que somos a maioria, sim, ainda que silenciosa – não merecemos isso.

João Manuel desencadeou a lei da “ação e reação”. Ele e seus cúmplices que cuidem, agora, de enfrentar as conseqüências. Desgraçadamente, a constatação de Lord Acton – notável historiador inglês – confirma-se, em carta escrita em 1887:

“E, lembre-se, quando se tem uma concentração de poder em poucas mãos, freqüentemente homens com mentalidade de gângsters detêm o controle. A história provou isso. Todo o poder corrompe: o poder absoluto corrompe absolutamente.”

E bom dia.

18 comentários

  1. Robinson em 03/09/2013 às 20:25

    Perfeito Cecílio. Você está absolutamente correto em relação ao que está acontecendo em nossa Câmara. E para tentar coagir quem quer que demonstre sua indignação, utilizam-se de ameaças e tentativas de processos. É lamentável.

  2. Antonio Carlos em 03/09/2013 às 23:04

    Finalmente você voltou. Já estava quase desistindo. Depois que você se calou as coisas só pioraram.Hoje estamos debaixo de homens pequenos, seres que envergonham a raça humana, pessoas que nem com a velhice amadureceram; continuam empedernidos e com o coração carregado de ódio. É o pagamento dos que se negaram a si mesmos. Certamente morrerão na mais amarga solidão. Que texto! Isso sim é jornalista de puro sangue e valor sem preço. Bom retorno paladino de justiça. Coitada da bandidada.

  3. WALKYRIA FABRIS em 04/09/2013 às 00:00

    PARABÉNS CECILIO, TENHO ORGULHO DE CONHECER HOMENS COMO VOCE, COM SUA CAPACIDADE ,
    COM A CORAGEM QUE NÃO TE DEIXA, COM SUA VISÃO. ESSE SR. ESTA SE ACHANDO UM CASTRO PIRACICABANO. ABRAÇOS DE SUA AMIGA E ADMIRADORA ,WALKYRIA FABRIS

  4. helio almeida rocha em 04/09/2013 às 00:42

    Eu, modestamente, ainda completaria esse texto conciso, verdadeiro, autêntico com uma frase do Grande
    Mahatma Gandhi:

    ""QUANDO ALGUÉM COMPREENDE QUE OBEDECER A LEIS INJUSTAS É CONTRÁRIO À SUA DIGNIDADE DE HOMEM, NENHUMA TIRANIA PODE DOMINÁ-LO''
    Fonte: ''A DIGNIDADE'' – do compêndio "Diálogos de Fé" – 1a.Edição -2013 – pág. 19 – Editora Benvirá -selo da Editora Saraiva. Copyright Editorial Santa Maria – Tradução de Sandra Martha Dolinski.

  5. Debora F. Rossini em 04/09/2013 às 12:02

    "E aqui estou, ainda, descobrindo que não tenho o direito de me calar, que não tenho estômago de avestruz."

    Que todos nós possamos redescobrir – dia após dia – que não temos o direito de nos calarmos.

  6. edu giannetti em 04/09/2013 às 13:31

    Meu caro Cecilio, qta clareza e verdades nesse seu texto!!
    Estou de volta a cidade e gostaria de encontra-lo para colocar a conversa em dia!
    Como posso encontra-lo? Vc ainda mora no sta rita?
    Abraços, eduardo.

  7. Eloah Margoni em 04/09/2013 às 16:50

    Este é nosso corajoso Cecílio Elias Neto, personalidade sem par nesta cidade!
    Grande abraço!!

  8. Silvestre Dilio em 04/09/2013 às 19:12

    Isso tudo, na minha modesta opinião, se chama desespero. AS proximas eleições vão todos perderem seus cargos, e isso os preocupa. Ser diferente nõa é normal. Taí o problema!

  9. Bruno em 04/09/2013 às 20:27

    Esperei por esse dia…. Cecílio calado durante os anos Barjas Negri (e seus inúmeros desmandos) me fazia pensar sobre os mecanismos de repressão ainda existentes.
    Sua voz já era muito aguardada, e retorna em um momento em que Piracicaba parece 'domada'. Uma fagulha de esperança aos inquietos. Belo retorno, Cecílio, ao seu lugar de honra!

  10. Fernanda em 04/09/2013 às 22:13

    Muito bom texto Cecílio, que seja mais um impulso na luta por uma Piracicaba mais justa!

  11. Wanderley Camolesi em 04/09/2013 às 22:13

    Grande Cecílio, sou seu fã há muitos anos! Parabéns!

  12. Antonio Carlos em 05/09/2013 às 13:56

    Já li o texto uma dez vezes. É de arrepiar. Mandei pra todo mundo. Uma alegria esperançosa brota em mim. O bem está vivo e vai vencer. Será que o ‘coronel propritário’ da Câmara vai processar você? O duro é saber que ele foi eleito pela maioria; imagina o tipo de gente.

  13. Marilena em 05/09/2013 às 18:59

    Parabens pelo texto! Concordo com cada palavra escrita nele ! E nos tempos atuais,ato de coragem, tb!
    Marilena

  14. Prudente de Moraes em 05/09/2013 às 21:23

    cada letra no seu devido lugar. Parabéns Cecílio.
    processo dessa câmara vergonhosa, devia ser julGADO na E.T.E.

  15. wilhe gerdes em 09/09/2013 às 10:41

    Bom dia, MEU GRANDE E ESTIMADO AMIGO.
    Reporto-me coberto de alegria por vê-lo de volta ao lugar que precisamos.
    Você melhor que ninguém para entender o sofrimento exercido sobre a LIVRE IMPRENSA e,
    sobre homens de palavra forte, que ainda hoje, tentam aos limites da mordaça.
    Daí, peço-lhe licença para criar frase apoiado no seu DICIONÁRIO CAIPIRACICABANO:
    – …’nóis inverga, mai num quebra!’
    CHICOTE neles!

    Wilhe Gerdes

  16. […] Texto: “Quer conhecer um homem? Dê-lhe o chicote.” […]

  17. helio de almeida rocha em 10/09/2013 às 00:15

    A VERDADE PREVALECERÁ SOBRE A TERRA.NADA DO QUE FOR INJUSTO, MENTIROSO, DANOSO AO HOMEM DE BEM E AO SEU CARÁTER NÃO TERÁ GUARIDA NO JULGAMENTO
    FINAL.
    ”O SEGREDO DA FELICIDADE É A LIBERDADE E O SEGREDO DA LIBERDADE É A
    C O R A G E M ” – frase de Tucídides (ou Thucydides)-historiador grego -Atenas – 460 a.C/400 a.C

  18. JOÃO PROENÇA em 16/09/2013 às 20:37

    Parabéns, Cecilio, a cidade precisa de sua luz para iluminar nossas mentes neste período de trevas onde a mediocridade e a ganância dos predadores imperam e chafurdam em todos os cantos… e praticamente nada é feito para conter essa praga!

Deixe um comentário