Ainda Febem: 14 feridos em rebelião.

Ao ser controlada a nova rebelião dos jovens internos da Febem do Tatuapé (capital, SP), o saldo de vítimas foi de 15 feridos. O descontrole em relação à Febem é total. O ex-governador Geraldo Alckmin, como solução para enfrentar a trágica situação na unidade de São Paulo, “inventou” a criação de diversas unidades no interior de São Paulo, tentando pulverizar a superpolulação carcerária no Tatuapé. Para isso, contou com o apoio de prefeitos e deputados “amigos”, entre eles o prefeito de Piracicaba, Barjas Negri, e os deputados Roberto Moraes e ACM Thame.

Cada crise na Febem, cada rebelião servem para alertar as poucas lideranças corajosas, capazes de protestar contra essa ofensa que o PSDB de Piracicaba ofereceu à comunidade. Quando se inaugurar a Febem, ao lado do Cadeião, terá início um tempo de anda maior intranqüilidade. Resta saber se Geraldo Alckimin, o prefeito e os deputados terão coragem, antes das eleições, de fazer festa com a inauguração desse marco de decadência e dessa prova de desrespeito em relação a Piracicaba. Os políticos locais, que apoiaram a Febem, estão na contramão do grande movimento desenvolvimentista promovido, em Piracicaba, pela iniciativa privada.

Deixe um comentário