Gordo ou magro, que Ronaldo brilhe.

Que é estranho, lá isso é, convenhamos. O preparador físico Moracy Sant’Anna informou que Ronaldo – ex-fenômeno, agora apenas gordo – estava gordo mesmo. E que, nos treinamentos na Alemanha, emagreceu cinco(5) quilos. Ora, como pode uma estrela de primeira grandeza no futebol mundial ir à Copa do Mundo com tal despreparo físico? E como a Comissão Técnca não exigiu, antes, que ele se preparasse, pois a ninguém escapava que Ronaldo estava realmente gordo? Até o Presidente Lula preocupou-se. E provado está que Ronaldo não teve razão sequer em aborrecer-se com a pergunta presidencial e que, aliás, era a de quase todos os brasileiros.

Agora, no entanto, não adianta discutir, reclamar, questionar. Ronaldo é uma das esperanças do Brasil e não há quem discuta seu talento, sua capacidade futebolística, sua arte. Gordo ou magro, o Brasil precisa dele. E, neste jogo contra o Japão, há uma torcida especial: para que Ronaldo vença a má fase, esse seu inferno astral e, enfim, venha a dar, à seleção brasileira, tudo aquilo que ele já deu antes. O futebol brasileiro deve muito a esse rapaz. É hora de, outra vez, fazer-se a “corrente pra frente”.

Deixe um comentário