UNIMEP, “cidade educadora”

Por duas vezes, no mínimo, em sua apresentação do novo e espetacular empreendimento da UNIMEP, o reitor Clóvis Pinto Castro pronunciou a palavra milagre. E, realmente, parece ter sido o que aconteceu, no sentido figurado, com aquela universidade que, por longo período, foi vítima de temporais, furacões e desatinos, quase sendo colocada a nocaute. Pois, no projeto de empreendimento imobiliário em parte das terras da universidade, a audácia e o arrojo são tantos que parece, realmente, ter sido um milagre o que permitiu a superação de tantos obstáculos para o início de uma nova jornada e de um novo tempo que prometem ser auspiciosos.

Seria oportuno Piracicaba guardar a data da quarta feira, 16 de dezembro. Pois, em futuro ainda próximo, está será a data histórica de uma fase que desponta como promissora, tais as decisões tomadas, os projetos elaborados, a união de forças e a audácia impulsionada por um indisfarçável espírito de fé. A UNIMEP e Piracicaba, a partir deste 16 de dezembro – como se nos fosse um antecipado presente de Natal – preparam-se para ser outra universidade e uma outra cidade. E o reitor Clóvis Pinto Castro resumiu a proposta da grande obra a ser desenvolvida: “UNIMEP, uma cidade educadora.” Completando: “Educação para toda a vida”.

Isso significa que a UNIMEP, como resposta à grave e prolongada crise, optou pela solução doméstica, audaciosa, lúcida de transformar parte daquelas terras num grande empreendimento imobiliário, sob controle do IEP e da Igreja Metodista, que compreende: condomínios domiciliares em uma versão mais humanizada, centro de convenções, centro comercial e um shopping Center de última geração, interligando as cidades da região. O projeto, elaborado por grandes e renomadas empresas, só pode ser entendido a partir de uma palavra: espetacular. Será, realmente, uma nova cidade que se abre em direção à Rodovia do Açúcar mas com uma singularidade enfatizada pelo reitor da UNIMEP: o centro será a educação, uma “cidade educadora”, prevendo desde a infância – com a construção de um outro colégio naquele espaço – até a universidade. Ou, como sugeriu, com graça e originalidade, um dos representantes medotistas: “Da placenta, aos noventa”.

Quem esteve presente à apresentação do grande projeto – multidão que quase lotou o Teatro UNIMEP – sentiu o peso e a importância da grande obra, que se tornou também uma das prioridades da Prefeitura Municipal, parceira do projeto. A presença do prefeito e de quatro secretários, de todos os ex-reitores e administradores gerais – Elias Boaventura, Almir Maia, Gustavo Alvim, Davi Barros – mostrou, ao mesmo tempo, a coesão da cidade e a união da cúpula metodista com esse passo gigantesco que a UNIMEP dá, mais uma vez fortalecendo-se na crise, já merecedora da imagem da Fênix, que renasce das próprias cinzas.

Poder-se-ia objetar que se trata de um projeto de ordem empresarial, com intuitos comerciais e de lucro, o que também é. Mas é preciso, antes de mais nada, acreditar no compromisso que o prof.Clóvis Pinto Castro firmou com Piracicaba e com os piracicabanos: a educação está no centro de tudo, sendo causa, meio e fim. Uma outra UNIMEP, “cidade educadora”, com “educação por toda a vida” nasceu neste dia 16 de dezembro de 2009. E, para quem gosta de coincidências ou de ver sinais nas estrelas, de uma comunhão ecumênica: empreendimento metodista, com arquiteto de origem judaica e uma construtora de nome São José.

Deixe um comentário